MODA E SUSTENTABILIDADE: DESENVOLVIMENTO DE UMA COLEÇÃO DE BOLSAS A PARTIR DE RESÍDUOS TÊXTEIS

Ana Carolina Matos da Silva, Tamily Roedel

Resumo


Os resíduos têxteis são sobras de tecidos de um processo produtivo, que não têm mais utilidade para a produção e acabam sendo descartados. O objetivo geral deste trabalho é desenvolver uma coleção de bolsas usando resíduos têxteis; e os objetivos específicos são relacionar a sustentabilidade ambiental à moda; descrever os principais impactos causados pelo descarte de resíduos têxteis; apresentar práticas de reciclagem e reaproveitamento no setor têxtil; e apresentar o memorial descritivo no qual consta todo o processo criativo para o desenvolvimento da coleção de bolsas, contendo planejamento, geração de alternativas, avaliação e detalhamento, e produção. A fundamentação deste artigo teve uma abordagem qualitativa, método exploratório, e tipo de pesquisa bibliográfica. O desenvolvimento da coleção seguiu uma metodologia projetual aplicada, e ocorre em quatro fases: pesquisa, planejamento, design e desenvolvimento. Os impactos ambientais do setor da moda são muitos, eles iniciam na produção das fibras de algodão, e pelo elevado uso de produtos químicos, podem poluir as águas e aumentar a resistência dos insetos. A sustentabilidade surge aí como uma forma de reinventar a moda, por meio das práticas de reciclagem e reaproveitamento no setor, como exemplo, há o upcycling e o slow fashion. Para o desenvolvimento da coleção foram produzidas quatro bolsas, reaproveitando os resíduos têxteis. A macrotendência estabelecida foi Afinidade; e o tema, a diversidade do Brasil. Pode-se concluir que por meio da coleção, levou-se uma mensagem de conscientização e respeito às culturas, raças e etnias.


Texto completo:

PDF

Referências


BARBIERI, José Carlos. Gestão ambiental e empresarial: Conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2011.

BARBOSA, Jaque. Para provar que a moda pode ser sustentável, marca lança projetos de roupas pensando no meio ambiente. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2017.

BERLIM, Lilyan. Moda e sustentabilidade: uma reflexão necessária. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2014.

BEUREN, Ilse Maria. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3. ed., atual. São Paulo: Atlas, 2009.

BRASIL. Lei nº 12.305 - Política Nacional de Resíduos Sólidos, de 02 de agosto de 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2017.

CAREER. Sustentabilidade. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2017.

DIAS, Reinaldo. Gestão Ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2011.

FARM RIO. Upcycling de responsa. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2017.

FREIRE, Estévão; LOPES, Guilherme Bretz. Implicações da Política Nacional de Resíduos Sólidos para as práticas de gestão de resíduos no setor de confecções. Redige, SENAI, v. 4, n. 01, p.1-22, abr. 2013.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.184 p.

GWILT, Alison. Moda sustentável: um guia prático. São Paulo: Gustavo Gili, 2014. 175 p.

JONES, Sue Jenkyn. Fashion design. 3. ed. São Paulo: Cosac & Naify, 2011. 271 p.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2007. 225 p.

MOREIRA, Louisie Furtado. A Revalorização Do Movimento Slow Fashion Visando O Consumo Sustentável. In: XI SEMANA DE EXTENSÃO, PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO – SEPESQ, 2015, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, 2015. p.1-7.

MORELLI, Graziela. Paradoxos da sociedade contemporânea: o movimento slow fashion. In: 7º COLÓQUIO DE MODA, 2011, Maringá. Anais... Maringá, 2011. p.1-12.

MORRIS, Bethan. Fashion illustrator: manual do ilustrador de moda. São Paulo: Cosac & Naify, 2007. 208 p.

PORTOGENTE. Os impactos ambientais decorrentes da cadeia produtiva têxtil. 2014. Disponível em: < https://portogente.com.br/noticias/meio-ambiente/82179-os-impactos-ambientais-decorrentes-da-cadeia-produtiva-textil>. Acesso em: 7 mai. 2017.

RIBEIRO, Clara. Produção de algodão causa impactos ambientais. Revista Viva Saúde, ed. 136, 2015.

SALCEDO, Elena. Moda ética para um futuro sustentável. São Paulo: GG, 2014. 127 p.

SANCHES-MONTEMEZZO, M. C. F. Projetando Moda: Diretrizes para a concepção de produtos. In: PIRES, Doroteia Baduy. (Org.). Design de Moda: Olhares diversos. v.1. São Paulo: Barueri: Estação das Letras e Cores, 2008. p. 289-301.

SCHULTE, Neide Köhler. Reflexões sobre moda ética: contribuições do biocentrismo e do veganismo. Florianópolis: UDESC, 2015. 144 p. (Teses de moda)

SEBRAE - SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Retalhos de tecidos: no lugar do desperdício, negócios sustentáveis. Disponível em: . Acesso: 14 mai. 2017.

SORGER, Richard. Fundamentos de design de moda. Porto Alegre: Bookman, 2009. 176 p.

SOUZA, Maria Célia Martins de. Algodão orgânico: o papel das organizações na coordenação e diferenciação do sistema agroindustrial do algodão. 1998. 194f. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

TREPTOW, Doris. Inventando moda: planejamento de coleção. 5. ed. São Paulo: D. Treptow, 2013. 207 p.

VILACA, D.B.G.O, ARAUJO. A. C. M, OLIVEIRA, A. L. N, GUIMARÃES, S. S, BEZERRA, P. R. S. Upcycling e sustentabilidade: o despertar da indústria da moda para a logística reversa. In: XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2016, João Pessoa. Anais... João Pessoa, 2016. p.1-12.

WGSN - WORTH GLOBAL STYLE NETWORK. Previsão de acessórios femininos P/V 18: Afinidade. Disponível em: Acesso em: 11 abr. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Leia nossa última edição da revista!

http://www.contexmod.net.br/index.php/quinto/issue/current

Confira a Programação do evento.

http://www.contexmod.com.br/#fh5co-programacao